Este é um blog aberto ao público, para que aqui deixe sua postagem a respeito do tema em seu país. Pode ser a Sabedoria Popular em qualquer área: Saúde, Beleza, Vida, Particularidades Culturais, Religião, Arte.

25
Out 12

 

Como o nome deste Blog sugere, seria suposto que, basicamente,  aqui fossem abordados temas variados da cultura dos povos...
Assuntos leves e interessantes que despertassem a curiosidade de quem nos visita, numa partilha de sabedoria popular, aquela com que aprendemos a mover-nos nesta existência terrestre...
Com muita seriedade, mas com a alegria de transmitir humildes conhecimentos, sem pretensões de grande erudição, apenas com a evidência da constatação de que, é bem verdadeiro o saber que diz: "Voz do povo...voz de Deus"!...
Ora, acontece que ultimamente me tenho questionado bastante sobre o conteúdo dos temas a abordar neste espaço...não que se tenha esgotado a tradição, mas porque os tempos de hoje exigem uma atenção que não se compadece com distracções...
Diz-se que "Em tempo de guerra não se limpam armas". De facto os dias de hoje, negros de guerra e sem horizontes à vista, pedem-nos uma permanente atenção às investidas de quem nos está a desgovernar. Todo o tempo é precioso para estar alerta e exigir aos órgãos de soberania, que não façam do povo português um povo de cobaias, criaturas indefesas com as quais se divertem a testar mais uma qualquer e experimental teoria económica.
Eu sou por natureza uma pessoa de boa Fé e, por isso mesmo, gostaria de acreditar que ainda há políticos honestos e com espírito de missão que tudo fazem para o bem comum.
Sei também e por experiência própria, que "A Fé move montanhas". Mas temos que fazer a nossa parte para ajudar e dar um empurrão!
Como "Desistir é próprio dos fracos" vamos continuar a caminhada, "fazendo das tripas coração", ou seja, superando-nos com criatividade e dando o melhor de nós próprios. Cumprindo os nossos de deveres, com cidadania democrática, para também podermos exigir que nunca nos retirem os nossos direitos, entre muitos  o de manifestar a nossa  indignação e com a Sabedoria de um povo que não quer "deixar os seus créditos por mãos alheias".
publicado por Belisa Vaio às 16:29

06
Nov 10

Não costumo jantar, mas isso não quer dizer que não coma à noite!

 

Às 18,00 hs costumo tomar um café com alguma guloseima,  prá dar uma reanimada, e mais tarde quando der aquela fominha, como um lanche natural, ou um queijo com fruta, enfim, frugalidades! (rsrsrsrsrs)

 

Um dia destes, minha tia veio nos visitar, e, minha mãe, que gosta de jantar, preparou-nos uma gostosa refeição e, claro, eu não iria fazer esta desfeita.

 

Mas, dali a pouco comecei a me sentir empanzinada!...Parecia que tinha comido um boi com o chifre e tudo!

 

Meu tio, então, logo deu a receita: - Toma um copo de água com limão!

 

Como não botei a menor fé, fiz ouvidos moucos!

 

Mas, como aquela sensação desagradável continuava, acabei experimentando a dita receita de água com limão,  afinal o que eu tinha a perder?

 

E não é, que dali a pouquinho eu já estava pronta prá outra?!!!!!!!!

 

 

publicado por Bete do Intercambiando às 02:02

29
Out 10

http://www.gazetacn.com.br/wp-content/uploads/2010/04/oliveiras-site.jpg
Fiz há dias uma pequena viagem pela zona de Condeixa-a-Nova / Condeixa-a-Velha...terras da minha afeição...
Conheço-lhes, desde criança, a fartura de azeite e nozes.
Este ano, deliciei-me com o espectáculo das oliveiras carregadas de belas azeitonas! Os frágeis ramos pendem com o peso do precioso fruto.
E dei comigo a pensar na riqueza que esta árvore milenar nos oferece
...a começar pelas saborosas azeitonas, que, se bem temperadas são "aquele" petisco que sabe tão bem mas, em exagero, pode fazer mal...
...o azeite que alimenta e ilumina...que saudade dos dias da apanha e dos dias no lagar, com mós e ceiras e prensas e fios dourados a escorrer
sabor...
...e já agora, aproveitar-lhe as folhas e fazer um chá reconfortante com que se põe a tensão arterial no devido lugar!
...é verdade...funciona mesmo, eu que o diga!
Ah! E não é o ramo de oliveira o símbolo da Paz?
Abençoada Oliveira!
publicado por Belisa Vaio às 22:53

28
Out 10

Ontem, nossa querida Maria publicou aqui um post sobre as ervas aromáticas, e nos fêz lembrar de uma receita de "abóbora com coentro" que faço, que, na verdade, fui eu mesma que inventei, mas nem por isso menos gostosa!...Minhas meninas, quando crianças aprenderam a gostar de abóboras, por conta dela!

 

Mas, antes de ir à receita, quando ela falou da substituição do sal, pelas ervas,acabei me recordando de algo bem engraçado!..É rápido, leva só um minutinho prá contar:

 

Papai, era um excelente cozinheiro, tudo que ele fazia ficava ótimo, mas, tinha a mão um pouco pesada no sal!...Eu, sempre às voltas com uma alimentação saudável, já vou bem mais devagar, e, às vezes lhe falava:- Nossa, tá com a mãozinha pesada no sal, hem?!!!!!

Êle, descendente de italianos, já respondia, fazendo voz de zangado: - Puta merda,(delicaaaado!!!) vocês, daqui a pouco vão comer sem sal, e achar que está salgado!..E não é, que mais do que uma vez, só fui me dar conta que havia esquecido o sal, quando já estava quase acabando de comer?...Aí, me lembro e dou risada!...E também fico com saudades...Muitas saudades!

 

Bem, mas vamos à receita:

 

Pegue uma abóbora madura, descasque e corte em cubos.Claro, que se a abóbora for muito grande, faça a quantia que lhe apetecer.

Faça um refogado com bastante cebola ( 1 ou 2), uns 3 dentes de alho, e acrescente a abóbora, e um pouco de sal.

Vá cozinhando até que vire uma papa, corrija o sal à gosto, acrescente um pouco de farinha de mandioca, apenas o suficiente para dar uma certa "liga" e, então acrescente um pouco de salsinha, cebolinha e um toque de coentro...Cuidado para não exagerar no coentro, pois pode alterar todo o prato...E cuidado tb com o sal, pois se salgar muito perde toda a graça.

 

Obs: Às vezes a própria consistência da abóbora,  leva-nos a achar a farinha de mandioca dispensável, mas é ela que vai dar também o diferencial do prato. Serve de acompanhamento para carnes, e indispensável também o arroz branco!....Se sobrar, pode deixar na geladeira e servir como acompanhamento frio numa próxima refeição, que, no caso vai substituir uma eventual salada.....Bom também!

 

 

 

 

publicado por Bete do Intercambiando às 16:30

24
Out 10

Ontem, fazendo um comentário ao post de Belisa sobre a Amnistia Internacional, disse-lhe que tenho vivido como os três macaquinhos famosos, um com as mãos nos olhos, outro com as mãos na boca, outro com as mãos nos ouvidos....

Aí dei-me conta dessas figuras que estão sempre ilustrando, comunicando claramente situações, e quiz saber mais sobre elas!...E a historia é bastante interessante!...Vale a pena se aprofundar:

 

Os Três Macacos Sábios  ilustram a porta do Estábulo Sagrado, um templo do século XVII localizado no Santuário Toshogu, na cidade de Nikko, Japão. Sua origem é baseada em um trocadilho japonês. Seus nomes são mizaru (o que cobre os olhos), kikazaru (o que tapa os ouvidos) e iwazaru (o que tapa a boca), que é traduzido como NÃO OUÇA O MAL, NÃO FALE O MAL e NÃO VEJA O MAL. A palavra saru, em japonês, significa macaco e tem o mesmo som da terminação verbal  zaru, que está ligado à negação.

 

O folclore japonês diz que a imagem dos macacos foi trazida por um monge budista chinês,  no século XVIII. Apesar disso, não há comprovação dessa suposição.

 

É uma forma de lembrar que, se os homens não olhassem, não ouvissem e não falassem o mal alheio, teríamos comunidades pacíficas com paz e harmonia.

 

 

 

Como Ganhar Dinheiro na Internet
publicado por Bete do Intercambiando às 02:51

21
Set 10

http://www.jf-soure.pt/images/s_mateus_b.jpg

 

NÃO PEÇAS A MORTE A DEUS...NEM CHUVA PELO S. MATEUS

 

Cresci a ouvir este ditado popular...e muitos foram os anos em que choveu MESMO no dia 21 de Setembro...

No entanto...a tradição já não é  o que era...e este ano, por estes lados, nem ameaças...apenas sol e calor...

 

Outra ténue recordação que tenho, do S.Mateus de Soure era da grande romaria anual, que ainda se realiza, com a expressão de fé dos romeiros que vão pagar suas promessas.

E dizia-se que as que mais agradavam ao Santo eram as de coisas roubadas...como milho entre outras...

(Vou informar-me melhor e mais tarde actualizar este texto...)

 

Do que me lembro muito bem, é do Rancho Típico de Paleão, lugar próximo da Capela de S.Mateus, e que dançava e cantava no adro...

 

"Namorei duas cachopas

Na noite de S.Mateus...

Uma era da Redinha

A outra era de Tapeus..."

publicado por Belisa Vaio às 23:03

Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


links
PESQUISAR
 
VISITANTES

contador de visitas
NOSSOS AMIGOS
Posts mais comentados
blogs SAPO