Este é um blog aberto ao público, para que aqui deixe sua postagem a respeito do tema em seu país. Pode ser a Sabedoria Popular em qualquer área: Saúde, Beleza, Vida, Particularidades Culturais, Religião, Arte.

13
Out 11

Comemorou-se, hoje, aqui no Brasil, o dia de nossa padroeira, Nossa Senhora Aparecida.

 

O vídeo que posto, não é deste ano, já data de 2009, mas, é o que melhor retrata a comoção deste país, neste dia!

 

Imagem da Basílica de Nossa Senhora de Aparecida, Em Aparecida do Norte, São Paulo/Brasil

 

 

Mas, comemora-se também, o dia das crianças.

 

E, quem não pode ir até Aparecida do Norte para louvar  e agradecer, aproveitou o feriado para levar as crianças para passear

 

 

 

Grande movimentação de adultos e crianças no Parque Ecológico

 

 

E todos se encantando com a beleza do pavão, que resolveu dar o ar de sua graça

 

 

Outros preferiram apenas caminhar na paz  do Jardim Botânico

 

Ou apenas deitar na relva e descansar

 

 

Imagens do Parque Ecológico e Jardim Botânico de Americana/SP

 

publicado por Bete do Intercambiando às 04:42

05
Out 11

Outubro chegou, e com ele, a Flor de Outubro, que é uma espécie da família das cactáceas, com folhas iguais às da Flor de Maio, porém com as flores um pouco diferentes.

 

 

FLOR DE OUTUBRO

 

 

FLOR DE MAIO

 

E à noite as flores de Outubro se fecham

 

Para voltarem no dia seguinte com todo seu esplendor

 

 

 

 

 

 

publicado por Bete do Intercambiando às 03:06

07
Ago 11

Já há algum tempo passou no Globo Reporter da Redeglobo, um caso de amor muito interessante!

 

Um ganso que acompanha seu dono, prá onde ele for.  Até ao banco, o ganso vai atrás.

 

O ganso não costuma ser uma ave dócil, ao contrário, aqui no Brasil, muitos fazendeiros dizem que os tem como guardiães, melhores que os cachorros.

 

Mas, este é muito especial. Dê uma expiada:

 

 

publicado por Bete do Intercambiando às 22:41

25
Jul 11

Estamos na temporada da Dança dos Famosos, do programa do Faustão, pela Redeglobo de televisão, e, os brasileiros amam este quadro.

 

Geralmente, os que fazem mais sucesso, são os que conseguem superar melhor os limites, de peso, ou idade.

 

Nesta temporada, Odilon Wagner, um charmoso cinquentão, de voz sedutora, está dando um show, e mostrando que todos podem chegar lá, independente da idade.

 

Ele já havia saído do programa, mas retornou na Repescagem, dançando na categoria Rock.

 

publicado por Bete do Intercambiando às 02:32

16
Jul 11

É férias escolares aqui no Brasil e haja programas para fazer com as crianças!...Todos os dias procurar atividades que reunam lazer, mas que também despertem interesses aos pequenos.

 

Ontem, estivemos em um imóvel tombado pelo CONDEPHAAT (Conselho de defesa do Patrimonio histórico, arqueológico, artístico e turistico), órgão do governo do Estado de São Paulo. O imóvel, uma casa em Americana construída por volta de 1902, faz parte da Vila Carioba, um complexo  arquitetônico tombado. Faz parte dele uma igreja, uma antiga fábrica de fitas e elásticos, situada a Av Carioba; Antigo grupo escolar, antiga sede da Associação de Mútuo Socorro; Residência Hermann Muller (integral), incluindo casa do caseiro, antiga garagem e antigo celeiro,(onde estivemos) tratamento paisagístico da piscina e terreno vizinho – que abrigará o orquidário municipal; Remanescente de residência do conjunto da vila operária; açougue da caixa d’água; usina cariobinha e conjunto de galpões de fábricas têxteis.

 

Ao mesmo tempo que nos alegramos em ver o complexo tombado ( foi tombado oficialmente, em Dezembro do ano passado),  nos entristecemos com a aparência de abandono dele.

 

Na antiga usina, com sua barragem intacta, uma solidão só!...Descemos curiosas para ver a construção, mas tudo ao seu entorno lembrava uma cidade abandonada!...Avistamos uma pessoa e corremos ansiosas para trocar informações, mas não tivemos coragem de nos aproximar, quando, já mais próximas, avistamos o que ele fazia: drogava-se!...Voltamos correndo  mais assustadas do que já estávamos!

 

 

 

No caminho, poucas casas restaram da vila operária, e estas, claramente invadidas com resquícios de roupas sujas, garrafas pet, uma tristeza.

 

A residência Hermann Muller, uma linda construção, não saberia dizer exatamente o estilo, até bem preservada, não fossem os pontos de umidade frequentes.

 

 

 

Lá, na residência, quase nada sobre a construção propriamente dita!

 

Ficou um gostinho de "quero saber mais, mas para quem eu pergunto", pois, apesar de ter quatro funcionárias, nenhuma habilitada prá isso!

 

Percebe-se que houve uma vontade política mas não uma vontade histórica e didática!...É uma pena, pois o cidadão comum brasileiro tem vontade de aprender, haja vista, o livro de presença!

 

O que mais me fêz feliz, foi observar minha netinha, de apenas 7 anos, curiosíssima em conhecer todos os detalhes da construção, e seu rostinho espantado querendo saber o que tinha atrás de cada porta, como se estivéssemos andando em um castelo encantado!...Foi bom demais!

 

Algumas fotos da parte interna do imóvel. Ficaram um pouco escuras, mas dá para se ter uma ideia:

 

 

 

 

 

 

 

Uma foto da casa quando a família residia

 

 

  e uma foto da família Hermann Muller que aí residiu

DSC07143.JPG

 

 

publicado por Bete do Intercambiando às 19:03

29
Jun 11

Aos sábados pela manhã, na EPTV, uma afiliada da Rede Globo, um progrma bem brejeiro, que meu querido paizinho não perdia nunca.

Neste, eles ensinam, num sitio do interior paulista, a fazer queijo fresco...Vale a pena ver!

Baixe o Adobe Flash Player
publicado por Bete do Intercambiando às 03:25

09
Jun 11

Os que me conhecem sabem que gosto de escrever, apenas sobre coisas leves, positivas, e que possam dar um minutinho de alegria a quem lê.

Contudo, a vida não é feita apenas destes momentos, e, saber encarar as tristezas que aparecem, também é qualidade de vida.

Hoje, encontrei este texto no Uol, sobre a terapia do Luto, e Cissa Guimarães, renomada artista brasileira que teve à pouco tempo, uma perda terrível, relata sua experiência:

 

A terapia do luto foi fundamental para que eu conseguisse
sobreviver à maior dor de um ser humano", diz a atriz Cissa Guimarães, em
entrevista exclusiva ao UOL Comportamento, se referindo ao filho Rafael
Mascarenhas, que morreu atropelado aos 18 anos, em julho de 2010.
"Consegui isso com a ajuda terapêutica de Adriana Thomaz. Com ela, entendi
melhor a morte, como fazer a conexão com o amor do meu filho e como reaprender
a viver."

 

 A terapeuta Adriana Thomaz define a terapia do luto como o cuidado oferecido a uma pessoa que
sofreu uma perda significativa. "O luto é uma fase de transição. Essa
terapia, portanto, é uma abordagem comportamental, breve e focal, centrada na
pessoa e que dá novo significado à sua vida”, explica ela , que é médica,
trabalha na área há mais de dez anos e é a profissional que cuida de Cissa.

 

Quando iniciada logo após à morte, a terapia do luto é,
também, um tipo de aconselhamento para as tarefas básicas, como tomar a decisão
de ir ou não ao velório, de ver ou não o corpo, levar as crianças ao enterro (e
o que dizer a elas), se será positivo participar de rituais religiosos, voltar
ou não para casa e o que fazer com os pertences do ente querido...

 

 "A terapia facilita o reconhecimento dessas tarefas, que não podem ser evitadas ou
apressadas, permitindo que o enlutado se organize para elaborar a perda, assim
como estabeleça sua rede de apoio e busque sua espiritualidade -religiosa ou
não”. Além desse acompanhamento inicial, consultas auxiliam a enxergar a
realidade e encarar a vida.

 

Adriana passou a atender Cissa Guimarães cerca de três dias
após a morte de Rafael. "Em primeiro lugar, tive que detectar os
instrumentos que eram mais importantes para ela, que a faziam continuar a ter
vontade de viver. Percebi que o trabalho como atriz era vital, assim como o
carinho do público", conta a especialista. "Cada caso é um caso, mas,
no geral, a abordagem é procurar o que dá sentido àquela vida e tentar reerguer
a pessoa", explica.

 

 Cissa Guimarães diz que acha que esse tipo de acompanhamento é de extrema importância para quem
passa por perdas graves. "Nosso mundo ocidental lida muito mal com a
morte. Precisamos aprender a aceitá-la e transmutar esta dor em força. E é
exatamente isso que a terapia do luto nos ensina."

 

O empresário carioca Fernando Malheiros, de 71 anos, conta
que sua mulher, Vera, faleceu em 25 de julho de 2009, depois de 43 anos de
casamento. “Eu iniciei o tratamento depois de um ano da perda da minha mulher e
posso afirmar que, em três meses de terapia, me tornei outra pessoa. Acho que
todos que passam por um trauma como esse deveriam procurar uma ajuda do tipo.
Em vez de sofrer a ausência da Vera, passei a sentir sua presença constante e é
isso que me fortalece."

 

Sem medo

 

Segundo Adriana, uma das vantagens da terapia do luto é que
o paciente tem um espaço seguro para expressar sua tristeza, sua revolta ou
qualquer tipo de sentimento e pensamento sobre a morte, sem receios. O paciente
pode chorar, se abrir, deixar de lado o medo de desestruturar os familiares,
magoar entes queridos, assustar os filhos e não se preocupa se deve ou não
demonstrar suas fraquezas.

 

"A terapia reassegura ao enlutado que ele não está
ficando louco por estar experimentando sentimentos novos, desconhecidos e até
contraditórios", resume Adriana, que exemplifica: "Uma viúva que
perde o marido, que apresentava demência há anos, fica confusa por se sentir
aliviada com sua morte, apesar de profundamente triste". E ela conclui
que, no processo, há a preocupação em explicar que cada um tem sua maneira de
expressar o luto e não existe certo e errado.

 

O tratamento

 

 Um paciente da terapia do luto precisa de acompanhamento que varia, geralmente, de três a seis
meses. No início do tratamento, o indicado é visitar o profissional duas vezes
por semana. Conforme o progresso do paciente, as sessões se tornam semanais e,
posteriormente, quinzenais -até que o paciente receba alta. De acordo com a
terapeuta Adriana Thomaz, ainda existem poucos especialistas em luto no Brasil
(e a maioria atua na capital paulista). Quem sofreu uma perda pode recorrer a
outros especialistas. Adriana orienta, porém, que é importante esclarecer o
objetivo do tratamento ao médico ou psicólogo e perguntar se ele está apto para
fazer esse tipo de acompanhamento.

 

publicado por Bete do Intercambiando às 14:45

17
Abr 11

Interessante depoimento do médico Arnaldo Lichtenstein, sobre a confusão mental que acomete os idosos:

 

"Sempre que dou aula de clínica médica a estudantes do quarto ano de Medicina, lanço a pergunta:
 - Quais as causas que mais fazem o vovô ou a vovó terem confusão mental?
Alguns arriscam: "Tumor na cabeça".
Eu digo: "Não". 
Outros apostam: "Mal de Alzheimer"  
Respondo, novamente: "Não".
A cada negativa a turma se espanta...
 
E fica ainda mais boquiaberta quando enumero os três responsáveis mais comuns:
- diabetes descontrolado;
- infecção urinária;
- a família passou um dia inteiro no shopping, enquanto os idosos ficaram em casa e não ingeriram líquidos!
      
Parece brincadeira, mas não é. Constantemente vovô e vovó, sem sentir sede, deixam de tomar líquidos.
Quando falta gente em casa para lembrá-los, desidratam-se com rapidez.
A desidratação tende a ser grave e afeta todo o organismo.

 

Pode causar confusão mental abrupta, queda de pressão arterial, aumento dos
batimentos cardíacos (batedeira), angina (dor no peito), coma e até morte.
   
Insisto: não é brincadeira.
Na melhor idade, que começa aos 60 anos, temos pouco mais de 50% de água no corpo. Isso faz parte do processo natural de envelhecimento.
Portanto, os idosos têm menor reserva hídrica.


Mas há outro complicador: mesmo desidratados, eles não sentem vontade de  tomar água, pois os seus mecanismos de equilíbrio interno não funcionam muito bem.


Conclusão:
Idosos desidratam-se facilmente não apenas porque possuem reserva hídrica menor, mas também porque percebem menos a falta de água em seu corpo.
Mesmo que o idoso seja saudável, fica prejudicado o desempenho das reações químicas e funções de todo o seu organismo.
    
Por isso, aqui vão dois alertas:

 

1 - O primeiro é para vovós e vovôs ( nós mesmos): tornem voluntário o hábito de beber líquidos.
Por líquido entenda-se água, sucos, chás, água-de-coco, leite. Sopa, gelatina e frutas ricas em água, como melão, melancia, abacaxi, laranja e tangerina, também funcionam. O importante é, a cada duas horas,botar algum líquido para dentro. Lembrem-se disso!
   
2 - Meu segundo alerta é para os familiares: ofereçam constantemente líquidos aos idosos. Ao mesmo tempo, fiquem atentos. Ao perceberem que estão rejeitando líquidos e, de um dia para o outro, ficam confusos, irritadiços, fora do ar, atenção.
É quase certo que sejam sintomas decorrentes de desidratação.
"Líquido neles e rápido para um serviço médico".
      
   
    (*) Arnaldo Lichtenstein (46), médico, é clínico-geral do Hospital das Clínicas e professor colaborador do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).
   
    *    Gostou?
    *    Então divulgue. 
    *    Seus amigos merecem saber!

 

publicado por Bete do Intercambiando às 23:05

04
Abr 11

Tenho falado lá no Intercambiando sobre meus novos amigos, jovens ( 16, 18 anos), e do quanto  tem me feito bem conviver com eles, e observar a gama de interesses e de talentos que os envolve!...Estudo com eles, os observo, e vejo neles,  vencedores!

 

Mas, este, que aqui posto um poema, hoje, Zé Zuppani, jovem também, não estudamos juntos!....Conheço-o pessoalmente, de uma única vez, mas seus trabalhos com fotografia, quando os recebo é sempre uma agradável surpresa...Imagens captadas por olhos experientes e talentosos.

 

Já publicamos aqui mesmo,  no Sabedoria, um trabalho seu!...Tem mais alguns trabalhos lá nas Mil e uma faces do Brasil , também!....Mas, aos que quiserem ver seu talento e da família toda ( pai e irmão), por completo, visitem o http://www.fotonatural.com.br  . Ah!...Ele tem um blog também http://infotoarte.blogspot.com/

 

Mas, vamos ao poema, que tenho certeza, gostarão!

 

O nome do poema é VEGETARIAMOS

                                                                                 

 

                                                                                           

sol,

tanto e grande sol!

fama de astro, de drama, em chama.

raios de energia, geração de vida no planeta estufa.

folhas e mais folhas. Verdes folhas molhadas de chuva!

lindos pedaços verdes de poderosíssima evolução. Da luz se faz

alimento aos bichos e nós...bichos. Frutificamos da energia solar.

verdadeiros frutos dessa copa hão de vir, é época. Porém, antes,

lindas flores a desabotoar; coloridas de delicadeza. Néctar

aos visitantes que de tamanha sede não percebem o que

estão a fecundar. Sim, os recomendáveis frutos

de nossa dieta. Lambuzados em suculência e

deliciado pelos frutos esquecemos suas

sementes ao chão. Germinam

novos troncos.

tronco casca,

seguro forte.

casca e látex,

seiva de lucro.

madeira de lei

sem lei. Início do

fim. Madeira imóvel

aos nossos móveis, um

eterno monumento à morte.

esperança! raízes filtram o caos,

a lama. água; terra; crianças. nossa

ultima raiz.

 

 

 

 Este é um de seus trabalhos fotográficos que gosto muuuuiiittto mesmo!

 

 

 

publicado por Bete do Intercambiando às 22:43

30
Mar 11

Coloquei à pouco no Intercambiando, post sobre nossa viagem ao Masp, em São Paulo!...Encontramos, lá, também, um artista Portugues de Caldas da Rainha, José Vital Branco Malhoa!

 

Consta ter ele nascido em 1855, em Caldas da Rainha, e vindo a falecer em 1933, em Figueiró dos Vinhos, que, aliás, já procurei conhecer e me encantei com esta cidade, simpática e cheia de belezas naturais!

 

Confesso, também não o conhecia, mas amei seu trabalho!

 

O Ateliê do Estuário Simões de Almeida

 

 

 

O Ateliê do Artista

publicado por Bete do Intercambiando às 03:14

Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


links
PESQUISAR
 
subscrever feeds
blogs SAPO