Este é um blog aberto ao público, para que aqui deixe sua postagem a respeito do tema em seu país. Pode ser a Sabedoria Popular em qualquer área: Saúde, Beleza, Vida, Particularidades Culturais, Religião, Arte.

23
Jun 12

 

 

Há pessoas que nascem com dons muito especiais. Não é novidade para ninguém.

Sempre admirei o meu Tio Ramiro de Oliveira, pela facilidade com que alinhava as palavras e nasciam lindas e brejeiras quadras populares. Recordo até que, nesta altura do ano de arraiais e fogueiras, não havia concurso de jornal que não ganhasse! 

Do imenso rol que se encontra nas páginas do seu livro "Pecados sem Remissão", deixo hoje aqui algumas,  dedicadas a São João:

 

S. João muito obrigado

Por tudo quanto vos devo!

Desde o anel de noivado...

Às folhinhas do meu trevo.

 

São João não quer que eu reze

Quando lhe falo em casar!...

Mas se eu não defendo a tese

Não me posso doutorar!

 

Fui tudo p'lo S.João!

Fogueira...chuva de prata!...

Andei no ar, fui balão!

Agora sou a cascata!

 

Não fossem as orvalhadas

Desta noite de fogueiras

E muitas mulheres casadas

Tinham ficado solteiras!

 

Não insistas que não posso

Ser só teu nas romarias!...

Há no Terço um Padre Nosso

Para dez Avé Marias!

 

S.João: diz com franqueza,

Se não é forte capricho

Veres tanta fogueira acesa

E ficares dentro do nicho!

 

Demos tanto...tanto espanto

Nas fogueiras, que uma vez

Por um milagre do Santo

Fomos dois...viemos três!

   

 

publicado por Belisa Vaio às 18:26

29
Mai 12

Sempre que entro na aldeia onde nasci reparo num qualquer recanto que me parece sempre mais bonito, mais pitoresco...

Então a igreja, logo pela manhã cedo ou ao cair da tarde, naquela hora mágica do crepúsculo, tem um encanto muito especial.

Claro que estes momentos de felicidade são partilhados por muitos dos meus amigos e conterrâneos que agora,  na madureza da vida estão de regresso ás raízes.

De facto, venho a reparar que um grupo de sessentões, aposentados das suas profissões,  deixaram para trás as cidades do  stress e  resolveram apostar em viver a última etapa da vida, na aldeia que os viu nascer!. As antigas casas de família voltam a abrir janelas, as respectivas hortas e jardins estão a ficar mais viçosos e até brancas e finas mãos estão a aprender trabalhos rudes a que não estavam habituadas...mas tudo se faz com gosto!!  

Reflectindo hoje sobre esta realidade veio-me á memória uma canção que nos famosos anos 60, fez muito sucesso na voz de António Calvário, lembram-se? "Regresso", assim se chama.

Descobri-a e mesmo retirada de um filme, não deixa de ser uma saudade...mas muito actual!

 

publicado por Belisa Vaio às 22:31

06
Mai 12

http://www.freewords.com.br/wp-content/gallery/dia-das-maes/a-origem-do-dia-das-maes-dia-das-maes-mae12.jpg

 

Nasci filha, tornei-me mãe, sou avó e, quem sabe, um dia serei bisavó!

Os patamares da vida por que tenho passado sempre me trouxeram momentos de profundas emoções e sinto, cada vez mais, que a condição de  Mãe se manifestou em mim com grande intensidade...

 

O amor pelos filhos e depois pelos netos é um sentimento tão sublime, indescritível e indelével, que não se define e apenas se sente.

 

E o sofrimento que lhe corresponde é igualmente extremo e atroz! Só quem é mãe - e também pai - pode avaliar a dor infinita de alguém que perde um filho. Creio que só a Fé em Algo Superior e nos Seus desígnios poderá minorar tal sofrimento. Aliás, quando ainda era muito jovem, ouvi alguém que dizia " Os filhos não são nossos: São de Deus,  que nos pede ajuda para os criarmos"! Acreditem que, em momentos difíceis, é algo de que nunca me quero esquecer!

 

 

Mas hoje,  que se celebra o dia da Mãe, vieram-me á ideia todas as "mães de coração". Aquelas que, não sendo mães biológicas, também amam e protegem, que se preocupam com o outro, que põem a vida ao seu serviço, que estão sempre disponíveis para uma palavra de consolo, para um conselho urgente ou até para um puxão de orelhas mais enérgico! Que fazem do seu tempo um espaço de disponibilidade para ouvir. Que se interessam, que querem ajudar a "crescer", que procuram fazer o outro feliz !  

Tudo isto me ocorreu hoje...porque me sinto também Mãezona de um grupo de amigos e amigas! Assim me tratam, carinhosamente!

E como qualquer Mãe que dá o melhor de si, também vivo com eles momentos de plenitude!   

 

   

publicado por Belisa Vaio às 08:55

01
Abr 12

 

Hoje, ao passar o olhar pela estante dos meus livros, dei de caras com um título sugestivo: SIMPLIFIQUE A SUA VIDA.

De Elaine St. James, faz parte da coleção XIS, editada há uns anos pelo jornal Público.

De leitura muito fácil e cheio de dicas mais que atuais, não resisto a deixar aqui algumas delas muito resumidas, mas que, postas em prática, nos  ajudarão a ter mais qualidade de vida!

 

Então vejamos:

 

- Que tal libertarmo-nos de toda a "tralha" que já não usamos?

- Pode parecer ousado...mas...e se pudéssemos trocar a nossa casa tão grande, onde nos cansamos tanto e cuja manutenção fica tão cara, por    outra mais pequena e suficiente para nós?

- E se simplificássemos os nossos hábitos alimentares - de acordo com a nossa idade e saúde -, se repensássemos os nossos hábitos de compras e se fossemos capazes de reduzir, ou até "cortar",  as nossas necessidades de bens e serviços?

- E...também libertarmo-nos de compromissos, pessoas e obrigações que nos causam Stress, por nos impedirem de fazer as coisas de que realmente gostamos?

 

Acredito que são sugestões apetecíveis e muitas outras haverá que nos ajudarão a simplificar o nosso dia a dia, criando mais espaços para melhor Saborear a Vida!

 

Simplifique e Desfrute!

  

 

publicado por Belisa Vaio às 21:22
tags:

18
Mar 12

Neste último fim de semana de inverno, fazendo jus à estação que termina com alguns pingos de chuva e temperaturas mais baixas, apetece-me saborear a tarde de domingo no aconchego do meu lar...

Mas que novidade!...(pensarão alguns...)

Vou deixar para os especialistas na matéria a explicações possíveis sobre o clima dos últimos meses e vou deliciar-me num dolce far niente...

Claro que este convite à preguiça, para mim tem muitos significados! Basta encontrar espaço para fazer coisas diferentes das obrigações domésticas ou profissionais!

Posso ter prazer em arrumar aquela gaveta que anda mesmo a pedir...pôr aqueles papéis em ordem e guardar os que podem ser precisos...substituir no roupeiro as roupas de inverno por outras mais leves , espantar-me com a alegria das cores e com algumas peças de que nem me lembrava e que até vão fazer um vistão...e tantas outras ideias proveitosas!

E as fotografias? Eu ainda sou das que gosto de as ver nos álbuns...por isso...que tal organizá-las? E os livros...aqueles que já lemos e andam por aqui a pedir estante junto aos outros?...e as revistas? aquelas de decoração que me inspiram a pôr a minha casa mais acolhedora? Antes de as empilhar no lugar do costume, acho que ainda vou folhear alguma...

Tudo é um bom motivo para descansar, nesta tarde de domingo!...Basta de "passeios dos tristes", quilómetros a cansar pernas nos centros comerciais, compras desnecessárias e gasolina tão cara e mal gasta na fila interminável do regresso a casa e com os miúdos, insuportáveis, no banco de trás!

Sim, a tarde de domingo também é feita de outros passeios! Aqueles que nos fazem viajar por dentro de nós e que também nos apaziguam! 

E para terminar esta tarde em beleza, só, com a família ou com amigos...que tal um chá com aquele bolo de ananás especial, que ando há tanto tempo para fazer?         

   

publicado por Belisa Vaio às 08:36

08
Mar 12

Hoje,  no dia internacional da Mulher, estreia em Portugal um filme sobre a vida de Florbela Espanca.

Pela apresentação, sinto que é uma homenagem à mulher poetisa que teve a ousadia de desnudar e franquear a sua alma sofrida e inquieta, numa época longínqua - 1894-1930,  pejada de preconceitos e tabus.      

A sua curta de vida de 36 anos, plena de episódios intensamente trágicos que retratou em poemas de angustias tremendas, faz dela uma Mulher que afirmou corajosamente a sua condição. 

 

 

Exaltação


Viver!... Beber o vento e o sol!... Erguer
Ao Céu os corações a palpitar!
Deus fez os nossos braços pra prender,

E a boca fez-se sangue pra beijar!

A chama, sempre rubra, ao alto, a arder!...
Asas sempre perdidas a pairar,
Mais alto para as estrelas desprender!...
A glória!... A fama!... O orgulho de criar!...

Da vida tenho o mel e tenho os travos
No lago dos meus olhos de violetas,
Nos meus beijos extáticos, pagãos!...

Trago na boca o coração dos cravos!
Boémios, vagabundos, e poetas:
Como eu sou vossa Irmã, ó meus Irmãos!...

 

publicado por Belisa Vaio às 21:04

14
Fev 12
Sinto que hoje, Dia dos Namorados, todos os pares sonham continuar a ser Eternos Namorados!
A magia do Amor manifesta-se calorosamente, o encanto abraça corpos e almas e deseja-se profundamente que a Felicidade que hoje se vive seja eterna!
Então...vamos fazer por isso!
Como diz Elisabeth Cavalcante, citando Osho, O Amor é Frágil!
É melhor aprender a cuidar dele e aí, sim, haverá sempre Eternos Namorados! 

 

 

A fragilidade do amor
:: Elisabeth Cavalcante ::

Embora seja a força transformadora mais poderosa que existe, o amor é, paradoxalmente, extremamente frágil. Talvez por isso, nos surpreendamos de modo admirável ao descobrir que um dia, repentinamente, nosso sentimento por alguém mudou de forma.

Geralmente esta descoberta é fonte de muita angústia e sofrimento, pois sabemos o quanto ela magoará o outro. O mesmo acontece quando somos nós quem deixamos de receber o amor que desejamos. Por mais que isto nos desagrade, quando o amor desaparece não há nada que possamos fazer para trazê-lo de volta.

Se todos tivéssemos, desde cedo, esta consciência acerca da fragilidade do amor, certamente nos manteríamos mais alertas quanto aos cuidados que uma relação amorosa exige.

Infelizmente, a maioria dos relacionamentos tem como base de sustentação o ego, e por essa razão, é inevitável que sentimentos como a posse, o ciúme, o orgulho e toda sorte de emoções geradas pela insegurança e a baixa auto-estima, direcionem as atitudes.
A consciência e a maturidade são ingredientes essenciais para que uma relação de amor se mantenha fortalecida e possa crescer cada vez mais em qualidade.

Somente a observação permanente de nossos próprios sentimentos e fragilidades, bem como os de nosso parceiro, podem trazer uma percepção clara dos jogos e armadilhas que o ego nos impõe e, deste modo, impedir que o amor seja destruído.

" Não pense que o amor é eterno. Ele é muito frágil, tão frágil quanto uma rosa. Pela manhã, ela está ali; ao entardecer, ela se foi. E pequenas coisas podem destruí-la.

Quanto mais elevado for algo, mais frágil será. Ele precisa ser protegido. Uma pedra permanecerá, mas a flor irá embora. Se você atirar uma pedra na flor, a pedra não se machucará, mas a flor será destruída.

O amor é muito frágil, muito delicado. Você precisa ser muito cuidadoso e cauteloso com ele. Você pode causar um tal dano que o outro se fecha, fica defensivo. Se você estiver brigando muito, seu parceiro começará a escapar; vai se tornar cada vez mais frio e fechado, de modo a não ficar mais vulnerável a seu ataque.

Então, você o atacará ainda mais, porque você resistirá a essa frieza. Isso pode se tornar um círculo vicioso e é assim que pessoas enamoradas pouco a pouco se separam. Elas se afastam uma da outra e acham que a outra foi a responsável, que a outra a traiu.

Na verdade, como percebo, nenhuma pessoa enamorada jamais traiu alguém. É somente a ignorância que mata o amor. Ambas queriam ficar juntas, mas ambas eram ignorantes.

A ignorância delas fez com que entrassem em jogos psicológicos, e esses jogos se multiplicaram. Pouco a pouco elas vão se afastando. Então, elas acham que o amor é perigoso. O amor não é perigoso. Apenas a inconsciência é perigosa.

Há muitas pessoas que evitam o amor simplesmente para estar em chão seguro. Há pessoas que não querem se comprometer em nenhum relacionamento porque elas sabem que uma vez que você esteja comprometido e mais próximo, começam as brigas, começam as resistências e as coisas feias começam a borbulhar - então, pra quê?

No máximo, elas ficam interessadas em relacionamentos sexuais, mas não em intimidade. E a menos que um relacionamento se torne íntimo e profundo, você nunca saberá o que é um relacionamento. Um relacionamento simplesmente sexual é uma coisa periférica e isso nunca o satisfará".

Osho, Beloved of my Heart.

publicado por Belisa Vaio às 08:53

27
Jan 12

Charles Aznavour, no auge nos anos 60, musicou um belíssimo poema, testemunho de um modo de estar na vida, á margem de regras sociais,  pontuado pelo amor á cultura e a um certo anarquismo : La BOHÈME.

 

Creio até que o conceito de "boémio" terá a sua origem na região da Boémia, no centro da Europa, de onde partiram grupos de ciganos  nas suas andanças pelo mundo. E todos sabemos que os seus costumes colidem, de algum modo, com os da sociedade dita burguesa!

 

Hoje, em tempo de recordações...um tributo aos boémios!

 

         

publicado por Belisa Vaio às 15:02

23
Jan 12
Já vos aconteceu acordar com uma canção e ficar com ela a acompanhar-vos durante todo o dia ?
Hoje aconteceu comigo e acho que esta é a música ideal para energizar até a semana, tal o ritmo e alegria que estes jovens transmitem!
Vamos a isso? Acho que estamos todos a precisar!!
publicado por Belisa Vaio às 09:37

31
Dez 11

Nada como acabar um ano e começar outro com doçura na boca e amor no coração!

 

Para fazer jus a este desejo resolvi fazer uns Formigos. É um doce de colher, tradicional do norte de Portugal e, a meu ver, além de uma delícia é também muito "peitoral"...

Doenças e dietas áparte, tem tudo o que é preciso para carregar energias!

 

- 500 gr.de açúcar

- 1,5 dl.de água

- 8 fatias de pão branco, sem crostas.

- 150 gr.de amêndoas sem pele e cortadas em lâminas.

- 100 gr.de passas (sem graínhas)

- 100 gr.de pinhões

- 8 gemas de ovos

- 2 cálices de Vinho do Porto

- leite quente e canela q.b.

 

Demolha-se o pão partido em bocados,  em leite quente a que se juntou alguma canela, durante 5 minutos. Escorre-se.

Leva-se o açúcar e a água a fervilhar, também cerca de 5 minutos.

Batem-se as gemas de ovos com o vinho do Porto.

Envolvem-se estes ingredientes e juntam-se os frutos secos. 

Coloca-se num prato e polvilha-se com mais frutos.

 

Herdei esta receita de uma querida Amiga - a Maria Leonor. Apesar de já ter partido mantém-se viva na minha saudade e hoje, relembrá-la nestes Formigos é a prova de que o Amor é um sentimento muito doce...

 

Então? Vamos entrar em 2012 com mais doçura na boca e também no coração?

 

Eu vou! E você?

 

Feliz Ano Novo!

 

publicado por Belisa Vaio às 14:55

Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


links
PESQUISAR
 
subscrever feeds
blogs SAPO